Capa_CAmoes_dia_portugal

Camões, Liberdade e Inquietação – Vergílio Ferreira e o 10 de junho de 1977, na Guarda

Realizaram-se, pela primeira vez após a Revolução de Abril, as comemorações do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, no dia 10 de junho de 1977, na cidade da Guarda, como nos lembra Alípio de Melo[1] que integrou a “Comissão local organizadora do evento”. Para a Sessão Solene foram convidados Vergílio Ferreira, por proposta do mesmo Alípio de Melo, e Jorge de Sena. No texto introdutório a Jorge de Sena – Vergílio Ferreira: Correspondência, Mécia de Sena assinala que foi nesta ocasião que conheceu pessoalmente o autor de Aparição e a última em que se encontraram os dois escritores.

vergilio ferreira_curso de verao

Curso de Verão Vergílio Ferreira

O Município de Gouveia em parceria com a Universidade de Évora, organizam o Curso de Verão “Vergílio Ferreira: O Lugar como ficção”, que vai decorrer de 12 a 16 de junho, em Évora e Gouveia.

pena_de_morte_um_arcaismo

Na passagem dos 150 anos da abolição da Pena de Morte em Portugal e dos 50 Anos de “Pena de Morte um Arcaísmo” de Vergílio Ferreira

     A 1 de julho de 1867 o Rei D. Luís sanciona o decreto das Cortes Gerais, datado de 26 de junho desse ano, “que aprova a reforma penal e das prisões, com abolição da pena de morte.” (in http://antt.dglab.gov.pt/exposicoes-virtuais-2/carta-de-lei-da-abolicao-da-pena-de-morte-1867-marca-do-patrimonio-europeu/). 

Cem anos decorridos, em setembro de 1967, a Universidade de Coimbra organiza um Colóquio Internacional sobre o centenário da abolição da pena de morte, onde participam, entre outros,  Miguel Torga – com a comunicação de abertura – e Vergílio Ferreira com uma conferência intitulada “Pena de morte, um arcaísmo”, incluída no segundo volume do livro das comunicações deste Colóquio e em Espaço do Invisível 3. No espólio de Vergílio Ferreira, à guarda da Biblioteca Nacional, encontra-se um documento manuscrito (cota E31/235), com um título diferente (“Pena de morte, pena de bárbaros”) e outros alternativos (“Pena de morte, pena de anacoreta” e “Pena de morte, pena de cão”).